quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Re-encontro

Natasha caminha sem pressa pelas ruas da cidade, curtindo o vento fresco que sobra agitando seus cabelos. Ela sente-se bem, não apenas emocionalmente mas também fisicamente ela está no auge, às vésperas dos trintas anos ela nunca sentiu-se tão bem, tão sexy e segura de si. Não haveria momento mais propício para ela se esbarrar no seu ex mais marcante; aquele que apesar de ter sido o melhor amante que ela já teve, foi também um filho da puta com ela, desgastando a relação até eles se separarem e ele se casar com outra pouco depois. A raiva que Natasha sempre teve pela forma filhadaputa com que ela agiu não impede ela de sentir saudades das transas deliciosas, do oral perfeito, do bafinho dele no pescoço dela quando ele a pegava por trás na melhor das fodas.
Natasha, que por muitas vezes pensou em pegar seu ex, agora casado, só para deliciar-se mais uma vez e mostrar para ele que ela era sempre a melhor... não perdeu a chance e aproximou-se dele com a segurança de saber que ainda ela desejada. Se ela tinha alguma dúvida disso, não teve mais ao ver o olhar dele que imediatamente pareceu tremer e a comeu com os olhos como se exclamasse com o olhar, “puta-que-pariu como você tá gostosa!”.

A conversa foi um jogo de cena como se um quisesse descobrir o que o outro pensava, mas Natasha já havia decidido o que queria e disse sem rodeios já pegando a chave do carro. “Quero você mais uma vez, no mesmo motel de sempre... vou na frente e ai de você se não aparecer no máximo em dois minutos”. Ele aparece não acreditar:
- Sabe que não posso, sou casado agora”. “E daí?” – Natasha está decidida “- acho que não sei que pensa em mim toda vez que transa com ela, que sente saudade da minha boca toda vez que ela te faz um boquete, que tem vontade de dizer meu nome toda vez que fode sua mulherzinha com força (duvido que ela deixa)? Acha que não sei que lembra da minha vontade toda vez que vai comê-la de quatro? Que tem saudades de ouvir meus gemidos e das nossas brincadeiras de foder até ver quem ficava exausto primeiro? Então a menos que você tenha ficado frouxo, venha e me mostre que não perdeu o jeito.
E Natasha sai andando em direção seu carro sabendo que ele está olhando para sua bunda. Entra o carro sentindo sua buceta molhada enxarcando sua calcinha. Arranca e treme de tesão e ansiedade ao vê-lo a seguindo.
Natasha acelera deliciando-se com aquele tesão avassalador que tomou conta dela, ela havia perigosamente se arriscado e estava feliz com isso. Imagina seu ex como dele estar louco de tesão seguindo-a em direção ao motel. Ela acelera um pouco mais, não apenas porque quer chegar antes, mas também porque a velocidade a excita.
Chega no motel, o quarto que eles sempre usavam quando namoravam está vago, será que ele vai se lembrar? Ela entra, tira a roupa ansiosamente querendo-se livrar de tudo, só deixa a calcinha, delicadíssima calcinha, fio dental de renda, um pequenino enfeite deixando o corpo dela ainda mais atraente.
Ela se joga na cama e acaricia seu corpo fervente e em alguns segundos ela entra no quarto. Ofegante como se tivesse vindo correndo, o pau duro dentro das calças dele forma um volume de respeito, Natasha morde os lábios de prazer e ele arranca suas roupas fuzilando-a com os olhos – “Sua cachorra, quem te disse que penso em você enquanto traço minha mulher?”

5 comentários:

Seja bem vindo, mas seja gentil. Comentários idiotas serão ignorados.